Alegria

Ah algum tempo recebi esse depoimento por e-mail, e para mim foi mais do que especial porque este casal foi o primeiro com quem tive a alegria de assinar um contrato. Essa mensagem deles, para mim foi uma das melhores recompensas que já recebi por esse meu trabalho, que sempre me dá muitas alegrias. Quando vim aqui postar a mensagem, acabei percebendo que não havia postado as fotos do casamento deles então resolvi corrigir essa terrível falha. Muito obrigado Kil e Mart, toda felicidade do mundo a vocês.

 

“Olá Lucas,

 tudo bem contigo?

  Quero agradecer e também agradecer principalmente em nome da Marta seu excelente trabalho.

Todo o desenvolvimento, paciência, dedicação e fantástico trabalho das fotos, bem como sua montagem, tempo dispensado, diagramação, ideias e o resultado final  ficou, pra nós, um espetáculo! Muito show!!

   Obrigado !!

 Oramos ao Deus da vida que faça superabundar sua graça, amor, respostas pessoais e profissionais em sua caminhada.

 

   Abração,

 Kil e Martinha

Porque sumi?

Dei uma sumida nos últimos dias, entre outros motivos esta o casamento da minha irmã que se aproxima, felizmente também nesse meio tempo tive dois serviços que tomaram um pouco do meu tempo, mas que irão render belos frutos que em breve vocês poderão ver aqui.

Uma coisa importante a falar é que em breve, muito em breve irá entrar no ar o novo site da Primeiro Estilo empresa que muito feliz faço parte, portanto fiquem atentos e acompanhem as novidades.

A foto que acompanha esse post foi tirada no ultimo serviço, um pouco da nossa Belo Horizonte.

Grande Abraço!

Lucas Rigamont

 


E se esta for minha última chance?

E se esta for minha última chance?

Chance de dizer adeus,

Chance de estar com amigos meus,

chance de dizer te amo,

chance de…

 

E se esta for minha última chance?

Chance de dar aquele abraço,

Chance de evitar um fracasso,

Chance de ser um bálsamo,

chance de…

 

E se esta for a minha última chance?

Chance de junto chorar,

Chance de junto sonhar

Chance de Amar

chance de…

 

E se esta for a minha última chance?

Chance de correr,

Chance de crer,

Chance de alegrar,

Chance de…

 

E se esta for minha última chance?

Chance de junto rir,

Chance de os erros corrigir

Chance de crer

Chance de…

 

E se estar for a minha última chance?

Chance de…

Chance de…

Chance de VIVER.

 

Imagem gentilmente cedida por meu pupilo @kylefelipe

Quanto tempo é preciso para esquecer?

Escrevi esse texto em outro dia de melancolia, pensei e havia decidido não publicá-lo não porque ele seja ruim ou coisa parecida, mas simplesmente porque o momento que me levou a escrevê-lo era um pouco pessoal, mas para alegria da minha linda namoradinha, que ficou curiosa em lê-lo e para aqueles que também gostam de ler meus textos resolvi publicá-lo. Espero que gostem.

Amor. Uma escolha!

Esse texto surgiu de uma pergunta que resolvi fazer a alguns amigos através do Formspring; perguntei a eles: “Pra você amor é um sentimento ou uma escolha?”

Tomei a liberdade de colocar aqui as repostas:

@albertoandre: “Uma escolha”

@thiaguin001: “Um sentimento”

@PabloMendess: “Um sentimento, claaro!”

@debsam: “Um pouco dos dois, mas principalmente uma escolha”

@jeeh2: “Um sentimento, vc não escolhe quem vai amar, ele simplesmente acontece !”

@josidutra: “escolha…”

@kakzynhah: “Amor é um sentimento que não contolamos, ele representa a parte mais frágil e forte do ser humano, não escolhemos amar e acabamos sofrendo diversas vezes por não escolher o objeto de amor, mas escolhermos não dar valor a quem não merece”

@limaosimoes: “perginta dificil… mas eh um sentimento que se escolhe!”

@aleixolazaro: “acho q o amor é um sentimento…mas às vezes você pode escolher ter esse sentimento, o amor pode se tornar uma escolha …não sei se tá boa a resposta mas…”

@robertaalvim: “O amor é um sentimento inesperado, se fosse uma escolha nós escolheríamos a quem amar e assim jamais sofreríamos por amor!”

@carolinne_k: “um sentimento”

@wfb1: “Concerteza, c tivesse como escolher evitaria muito sofrimento #FATO”

@deborasgf: “Acredito que o amor seja um sentimento, que vem acarretado de algumas escolhas!”

@VeronicaCostaa: “Acredito que um sentimento. Mas continuar amar alguém é uma escolha.”

@lorenastela: “Um sentimento, se pudessemos escolher amar alguem talvez nao teriamos tantos problemas seria mais facil gostariamos só de quem gosta de gente e sofreriamos menos. mas infelizmente nao é =/ ee é um sentimento pq quandoduas pessoas se gostam é um sentimento que acontece pelas duas partes..”

@camillacat: “Eu acho q a partir de uma decisão/escolha vc passa amar aquela pessoa! =) Mas mtas vezes o ser humano é dominado pelos seus sentimentos.. então. ele não consegue dominar suas emoções qndo a pessoas age com a razão é uma escolha sim!”

(Respostas postadas tal qual os devidos autores escreveram)

Infelizmente nem todos a quem eu perguntei puderam responder, ainda aguardarei a resposta, mas as respostas que chegaram me levaram a pensar sobre essa pergunta, na verdade eu meio que tenho uma resposta formada pra essa pergunta então na verdade vou apenas respondê-la.

Lógico que o que vou escrever é minha opinião e respeito a opinião de todos.

Vamos lá então? Aqui realmente começa o MEU texto.

Amor. Uma Escolha!

Já vi amores nascerem de vários lugares, amores que nascem de paixões, amores que nascem de amizades amores que nascem em família, enfim amor não surge de um só lugar.

A Bíblia mesmo, em seu texto original cita 3 formas de amor, Agápe, Eros, Fileo, que me corrijam aqueles que conhecem mais sobre o assunto que eu, mas para a Biblia o amor Agápe seria o amor divino, um amor infindável, grande e muito forte, já o amor Eros seria mais como a paixão, um fogo de palha, algo mesmo erótico (Eros – Erótico sacou?) carnal, ou como costumam dizer por ai a famosa “Química”, já o amor Fileo seria o amor fraternal, um amor entre família e amigos.

As pessoas confundem facilmente essas formas de amor, e confundem principalmente a paixão com o amor.

Para mim a paixão é algo ardente, aquela coisa que se sente as vezes só de olhar a pessoa, aquela atração quase incontrolável, aquele desejo louco de estar com a pessoa todos os instantes, talvez nesse ponto você possa até falar que o amor também tem muito destas coisas, e sim, creio que tem, mas a diferença é que a paixão é tão duradoura quanto uma poça d’água em uma estrada esburacada, o sol quente das adversidades, e as pisadas dos problemas logo fazem com que ela se seque.

O amor como falei pode sim nascer de uma paixão, nascer de uma paixão porque pra mim o que muitas pessoas logo no início falam que é amor muitas vezes é só paixão, é por isso que em relacionamento nenhum eu falo que amo logo de cara, eu não banalizo essa palavra em minha vida, só falo que amo para aqueles a quem eu realmente amo. No mundo de hoje o amor foi banalizado com aquela máxima “Que seja eterno em quanto dure” fazendo com que facilmente as pessoas confundam a paixão com o amor, mas dessas paixões as vezes surgem o amor. Como? Explico mais a frente.

Assim como da paixão o amor também surge na amizade e na família, e ai agora vem a explicação de porque podem surgir destes três elementos principais, talvez existam até outros elementos dos quais possam surgir o amor, mas pra mim estes três são os mais importantes.

Quando um pai e uma mãe sabem que terão um filho, ou mesmo quando esta criança nasce eles ainda não amam aquela criança, fosse assim não teríamos tantas crianças abandonadas como temos. Assim também não se ama os amigos logo de cara, afinal amizades não acabariam por coisas tão bobas, aliás eu gosto de separar amigos (aquelas que realmente amam) e colegas e na verdade se acabou acho que eram muito mais colegas. Como já falei também a paixão também acaba.

O que faz então estes sentimentos transformarem em amor?

A ESCOLHA

A escolha transforma a família, a amizade (ou coleguismo como eu preferiria dizer) e a paixão em amor.

Porque digo que a escolha é que transforma?

Quando a paixão, a família e a amizade, deparam com dificuldades no percurso nem sempre elas são fortes suficientes para resistir.

Voce se apaixonou, tudo muito lindo, mas porque de repente você já não gosta mais daquela pessoa? O que aconteceu? Ela mudou? Ou você mudou? Talvez nada disso, talvez simplesmente você não tenha feito a escolha de amar.

Quando você escolhe amar você, como eu costumo dizer, tem que “engolir muito sapo”, você tem que abrir mão de muita coisa, você inclusive tem que abrir mão de você, por mais assustador que isso possa parecer.

Jesus por exemplo, entregou sua própria vida por amor de todos nós, mas antes de ser por amor de nós, ele fez por amor ao Deus Pai.

Assim também os pais tem que deixar suas noites de sono pelo filho, eles renunciam seus desejos e as vezes seu sonhos pelos filhos, namorados, maridos, namoradas e esposas, renunciam a muitas coisas também tudo pela felicidade do outro, e é essa renuncia, essa escolha, de querer fazer o outro feliz e com isso sentir-se feliz que transforma aqueles outros sentimentos em amor.

Não confunda amor com desejo, amor vem acompanhado de renuncia de companheirismo, como bem já disse, o amor também tem muito desejo sim, desejo de estar junto e até mesmo aquele desejo carnal que tanto enlouquece as paixões, sim também tem disso, mas diferente das paixões o amor não tem só o desejo, o desejo vem como complemento, o desejo é como o recheio do bolo, um e outro são gostosos, mas quando juntos são muito melhores.

Diante de tudo isso não posso deixar de afirmar que amor é sim uma escolha, mas amor é muito mais uma escolha, pode ser que não escolhamos a quem amar, mas continuar a amar, que pra mim é o verdadeiro amor, esse sim nós escolhemos.

E você acha que amor é um sentimento ou uma escolha?

Eu escolhi amar, e o melhor é que sou amado, eta escolha boa!

Grande abraço!

Lucas Rigamont

P.S Imagem gentilmente cedida pela minha aluna de fotografia, aquela a quem escolhi amar @malutolentino

Sobre 2010 e 2011

Fim de ano!

Fim de ano sempre é tempo de pensar, pensar em tudo o que fizemos, em tudo o que queríamos ter feito, e em tudo o que ainda queremos fazer no próximo ano.

Esse ano foi um ano no mínimo atípico. Tive muitas coisas boas, e muitas coisas ruins.

Como coisa boa, começando pelo início do ano nessa retrospectiva devo destacar meu retorno à faculdade, principalmente por ser esse retorno parte de um sonho muito maior, mas o melhor não foi a faculdade, com certeza o melhor desse ano foi poder conhecer alguém que mudaria muita coisa em minha vida, lógico que pra melhor, principalmente porque esse alguém se encaixa também nos meus sonhos que são muito maiores. Na Fotografia destaco o crescimento, embora ainda lento, mas muito saudável do meu conhecimento e do meu reconhecimento.

Nós muitas vezes queremos as coisas muito depressa e sempre queremos muito, e muito mais, mas apesar disso posso afirmar que passos lentos são mais seguros, e mais que isso, muito mais prazerosos porque quando mais lentos podemos admirar a paisagem da vida que nos cerca a todo o momento.

Acho que é por isso que me encanta tanto viajar de moto, com ela posso não apenas ver a paisagem que me cerca, mas posso também senti-la, tocá-la,  e assim também tem sido minha vida.

Meu crescimento na fotografia esse ano foi algo assim, palpável, pude não apenas vê-lo como também senti-lo, e isso foi algo realmente gratificante.

Meu crescimento foi também tangível como pessoa, seja na faculdade, no meu namoro, com minha família e amigos, pude sentir na pele que estava crescendo, e as vezes esse crescimento doi.

E nessa parte de coisas ruins esta ai também a faculdade, o serviço, incluindo ai no serviço a fotografia que me dá tanto prazer, foram tantas atribuições que para cabê-las todas em meu dia eu precisaria de mais umas 6 horas em cada dia meu para conseguir fazê-las todas, como não eram possível acrescentar horas, eu tive que retirar, retirar horas de descanso, horas com minha família, horas com minha namorada, horas comigo mesmo, e aí o corpo cobrou, o estresse veio quente, cobrando todo esse esforço extra, e com isso sofreu minha família, sofreu minha namorada, sofreram meus amigos e principalmente eu sofri.

Apesar de todos os pesares, e apesar de não ser de todo como eu planejei, 2010 foi um ano pra ficar na história.

Mas e sobre 2011?

Bem nós sempre fazemos grandes planos para o ano que começa, mas esse ano não vou pedir muito, quero apenas continuar esse crescimento, como homem, como namorado, como filho, como irmão, como professor, como aluno, como profissional, sei que se continuar assim crescendo, não demorará muito e chegarei ao meu objetivo final, e poderei realizar meus sonhos.

Agradeço a Deus por tudo que me deu neste ano de 2010, pelas coisas boas e pelas coisas ruins, e peço perdão Deus por ser tão Humano.

Agradeço a minha família que me suportou apesar de meu estresse dentro e fora de casa.

Agradeço a minha namorada, que mesmo com meu estresse e meus muitos erros me amou e me acompanhou por sete maravilhosos meses neste ano.

Agradeço aos meus amigos, que mesmo com meu sumiço, ainda estavam lá quando precisei, ainda continuaram meus amigos.

Agradeço aos meus clientes, que acreditaram no meu potencial.

Agradeço a Primeiro Estilo que abriu novas portas para o meu crescimento profissional.

Agradeço aos colegas de trabalho, por me ensinarem, auxiliarem e também advertirem.

Que possamos todos neste ano de 2011 crescermos ainda mais com os olhos no futuro, mas com os pés no chão.

Lucas Rigamont


Cheiro de terra molhada

Noite passada fui com meu primo para a chácara do pai dele, meu tio (óbvio) na tentativa de avistarmos a chuva de meteoro que tem sido possível presenciar nos últimos dias, mas que poucos sabem. Até avistamos um ou dois rastros, mas nada muito intenso como proposto por algumas pessoas.

Mas foi tão bom estar ali, aquele cheiro de terra molhada pela chuva, os grilos, sapos coachando, até um escorpião achamos passeando lá por perto, mas pude dormir em uma paz e tranqüilidade que a muito não tinha.

Isso é uma parte das férias, e é parte do motivo de estar demorando a postar aqui.

Essas minhas férias que estão mais conturbadas que tudo, porque não parei um minuto, essas minhas férias que obrigações com a manutenção da moto arrancaram meu coro colocando em risco minha viagem ( por falta de grana), essas minhas férias que nem sei que viajar, essas minhas férias que mesmo com tantos problemas, e dificuldade ainda encontro um paz que preciso pra sair da rotina estressante do trabalho. Encontro essa paz em Deus, encontro essa paz na minha familia amada que me dá tantas forças, na minha namorada que aguenta e escuta todas as minhas lamentações, e olha que não são poucas, nos meus amigos que também estão sempre prontos a me ajudar, são estas as forças que me sustentam ao longo do ano, e que me sustentam agora também nas férias, mesmo que eu não possa viajar, mas seu puder com certeza vai ser melhor =D

Grande abraço!

Lucas Rigamont


P.S: Fotos tiradas na chácara do meu tio, tentando brincar com macro-fotografia.

EU SOU O CARA!

Eu sou o cara
Eu sou o cara que dorme tarde,
Eu sou o cara que acorda cedo,
Eu sou o cara que sonha,
Eu sou o cara que vai pra faculdade (mesmo sem vontade as vezes),
Eu sou o cara que trabalha,
Eu sou o cara que pega, e pegaria novamente aquela chuva por você,
Eu sou o cara que não liga de ser acordado de madrugada pra te ajudar, nem que seja só pra te ouvir,
Eu sou o cara que sairia no meio da noite por você,
Eu sou o cara que anda de moto sem rumo só para poder pensar,
Eu sou o cara que as vezes não gosta de ser acordado,
Eu sou o cara que ora por você,
Eu sou o cara que sente ciúmes,
Eu sou o cara que erra, mas que também pede perdão,
Eu sou o cara que arrepende,
Eu sou o cara que chora, mas que também engole o choro,
Eu sou o cara que adora estar com os amigos, mas que as vezes prefere estar sozinho,
Eu sou o cara que te ama,
Eu sou o cara que vai a igreja,
Eu sou o cara que escreveu cartas, que depois escreveu emails,e que agora twitta,
Eu sou o cara que te odeia,
Eu sou o cara que revolta,
Eu sou o cara que é controverso,
Eu sou o cara que é decidido, mas que as vezes tem dúvidas,muitas dúvidas,
Eu sou o cara que é feliz, mas que as vezes fica triste,
Eu sou o cara que escuta música alta, que canta, que as vezes empolga (muitas vezes),
Eu sou o cara que confia, mas que desconfia,
Eu sou o cara que tem um sexto sentido (ainda que falho as vezes),
Eu sou o cara que tem dor nas costas, dor de cabeça, tem um ombro machucado e mais um bocado de defeito de fabricação,
Eu sou o cara que é chamado de velho, mesmo não o sendo,
Eu sou o cara que acha que é novo, mesmo não o sendo,
Eu sou o cara que no meio da caminhada, acha que é só o início,
Eu sou o cara que se entristece por não poder realizar sonhos (que muitas vezes esbarram no dinheiro)
Eu sou o cara que demorou pra passar no vestibular,
Eu sou o cara que trocou de curso,
Eu sou o cara que fica triste por isso, mas só as vezes,
Eu sou o cara que tirou carteira de primeira (de carro e de moto),
Eu sou o cara que passou em um concurso público de primeira,
Eu sou o cara que as vezes tem ódio de ter passado,
Eu sou o cara que mesmo chateado é grato pelo serviço que tem,
Eu sou o cara que quer trocar de serviço,
Eu sou o cara que sonha em trabalhar com algo que ama,
Eu sou o cara que ama fotografia,
Eu sou o cara que não sabe de onde vem,
Eu sou o cara que sabe para onde vai,
Eu sou o cara que quer servir e viver pelo CARA,
Eu sou o cara que as vezes tem vontade de fugir,
Eu sou o cara que as vezes foge,
Eu sou o cara que mesmo fugindo não é covarde,
Eu sou o cara que odeia ser chamado de covarde,
Eu sou o cara que nunca dá as costas para um amigo,
Eu sou o cara que já foi apunhalado pelas costas,
Eu sou o cara que sabe guardar segredos, mas que não consegue guardar seus próprios segredos,
Eu sou o cara que tenta, mas não sabe mentir, pelo menos não por muito tempo,
Eu sou o cara que dorme muito, dorme ao ponto de falarem que é doença,
Eu sou o cara que essa noite esta sem sono,
Eu sou o cara que tem o pesadelo mais retardado que se pode imaginar,
Eu sou o cara que, se sonha de noite, quase nunca lembra,
Eu sou o cara que fala muito no papel, mas as vezes tem medo de falar ao vivo,
Eu sou o cara que já se sentiu usado,
Eu sou o cara que tem gente que acha que é rico, mas que não é nada disso,
Eu sou o cara que tem amigos (pelo menos acha que tem),
Eu sou o cara que tem medo de ser abandonado pelos amigos,
Eu sou o cara que valoriza familia, mais que isso, sou louco por ela,
Eu sou o cara que tem medos, mas que enfrenta seus medos,
Eu sou o cara que é louco por música, mas que não toca quase nada,
Eu sou o cara que escreve e acha que só por isso é escritor,
Eu sou o cara que escreve poesias e por isso acha que é poeta
Eu sou o cara que escreve músicas, e acha que é músico,
Eu sou o cara que é grato, e que sabe demonstrar isso,
Eu sou o cara educado, mas que é grosso as vezes,
Eu sou o cara que pensa demais no futuro (que em certas partes tem medo dele),
Eu sou o cara que tenta esquecer o passado, mas que as vezes é assombrado por ele,
Eu sou o cara que pensou em um bocado de coisas para escrever aqui mas que esqueceu metade delas (ou mais),
Eu sou o cara que talvez seja odiado por ter escrito isso,
Eu sou o cara que talvez seja amado por ter escrito isso,
Eu sou o cara que mesmo sendo um é vários,
Eu sou o cara que é composto de muitas partes,
Eu sou o cara que é moldado a cada dia,
Eu sou o cara que ainda não esta pronto,
Eu sou o cara que mudou, e pode mudar ainda mais.
E se você não se identificou com nada, você é muito mais “O CARA” do que eu, mas se você se identificou, você não é nada mais do que…
VOCÊ MESMO!

Não

Vou começar a postar algumas poesias minhas, comentem, espero que gostem!

Grande abraço!

Lucas Rigamont

Não

Não

Palavra dura

Mas as vezes de amor

Palavra que machuca

Mas que pode salvar

Palavra dita para machucar

Ou para restaurar.

“Não pode”

“Não deve”

“Não te amo”

“Não chore”

“Não te quero”

“Não Sofra”

“Não”

Palavra que soa aos ouvidos

Como um sino incessante

Atordoante

Que rasga o coração

Com uma faca sem corte

Dor.

Palavra que atordoa

Repetindo em nossa mente

Incessantemente

Como o som de uma corrente

Que soa a noite

Rastejando

Assustando

Palavra crua

Dura de se engolir

Que destroe alma

E corpo

Que entristece

Palavra fria

Como nevasca

Em terra sombria

Palavra que distancia

Corações, almas

Pessoas.

Palavra dita em hora certa

Ou incerta

Que doe, que machuca

Que assusta,

Que atemoriza

Que mostra cuidado

Ou ódio

Amor

Rancor

Palavra forte

Mesmo dita por fraca pessoa

Palavra de morte

De vida

Palavra.

Que termina

Relacionamentos

Momentos

Sentimentos

Matando sonhos

De crianças

Jovens, adultos

E velhos

Tudo por uma palavra…

… Não.

Medos

Hoje em uma agradável conversa ao telefone me veio à mente uma frase: “Medos todos temos, a forma como lidamos com eles é que determina quem somos”.
Inspiração repentina?
Talvez, mas tenho refletido um pouco sobre isso nos ultimos tempos.
Temos medos de tantas coisas, as vezes tão bobas, mas por outro lado somos tão corajosos em certos momentos, chega a ser estranho tamanha divergência.
Pense por exemplo na mãe que ao ver uma pequena barata, foge desesperada, sobe em uma cadeira e grita como louca, mas no mesmo dia, a mesma mãe, vê seu filho debaixo de uma pesada estante que foram necessários dois homens fortes para carregar, e esta mãe, esta mesma mãe que desespera ao ver uma barata, levanta a estante e salva sua criança.
Lembro-me também de uma ilustração que meu pai sempre gosta de contar que diz sobre uma mãe que tinha suas mãos deformadas. Um dia, incomodada porque seus amigos sempre riam de sua mãe, a criança questiona a mãe o porque das marcas em suas mãos. A mãe com um sorriso no rosto responde que um dia quando ela era bem pequenininha ela estava perto do fogão e de repente ao esbarrar no fogão uma pesada panela caiu, e poderia tê-la matado, não fosse a mãe, que sem se importar com o calor segurou a panela, custando-lhe a beleza de suas mãos, mas tendo como recompensa a vida de sua filha. A criança a partir daquele dia passou a amar aquelas marcas. (O autor da história, ou o personagem, se real, que me perdoe por alguma falta)
A mãe enfrentou o medo de queimar a mão para salvar sua filha.
Ao refletir sobre o medo, torna-se inevitável que eu reflita sobre Cristo, se pararmos pra analisar direitinho sua linda história veremos que ele teve medo, Ele que mesmo sabendo de toda a história, sabendo desde sempre, que iria morrer e ressuscitar, Ele ainda assim teve medo?
Sim teve medo e disse: “Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.” (Lucas 22:42)
Mas porque Cristo, mesmo sabendo que iria ressuscitar teve medo? Porque Ele sabia que no momento que o seu corpo fisíco aqui morresse, ele seria desligado do Pai, um desligamento minímo que fosse, talvez, miléssimos de segundos, mas uma separação que doeria mais qualquer espinho, qualquer lança ou prego.
Ainda assim, mesmo com tanto medo, Ele se dispôs a enfrentar este sentimento tão forte, e que em muitos casos nos incapacita, e cumprir a sua missão para que pudéssemos viver. Tal qual a mãe que citei no início, que sacrificou-se pra salvar seu filho, Cristo sacrificou-se, mas não apenas por UM, mas por toda a humanidade.
Com toda essa história, aprendemos duas lições, primeiro uma que de tão escondidinha no meio do texto lhe tenha passado despercebida. A única coisa que Jesus teve medo foi de se desligar do Pai. Já pensou nisso? Ele não teve medo das lanças, das humilhações, dos pregos, dos xingamentos. Ele não teve medo do Diabo que lhe apareceu no deserto, nem sequer importou-se em ficar 40 dias sem comer. Apenas teve medo de desligar do Pai, ainda que por tão pouco tempo, Ele teve medo. E nós? A cada dia nos desligamos do Pai com uma facilidade tão grande que me assusta, e quando digo nós estou me incluindo ai também. Desligamo-nos de Deus nos estudos, no namoro, na frente da televisão, no computador, e tantas outras coisas que, não apenas por um segundo, mas por horas inteiras, nos desligam e nos afastam do Pai.
Segunda lição: Tal qual falei na frase que inspirou todo esse fluxo de palavras aqui, nossa atitude frente aos medos é que determina quem somos. Jesus, ao enfrentar Seu medo, tornou-se o Salvador de toda a humanidade. A mãe quando segurou a panela quente, tornou-se a salvadora de seu filhinho.
Cada medo que enfrentamos, nos torna algo novo, algo que só conheceremos quando enfrentarmos.
E você quais medos vai enfrentar hoje?

(imagem de Kriss Szkurlatowski )