Book 15 Anos Luciana

Depois de vários meses afastado deste meu espaço estou de volta.

Muitas coisas aconteceram, coisas boas e ruins e por esses e outros diversos motivos acabei sumindo, mas não sem deixar de clickar, infelizmente diminuiram os clicks, mas não parei.

Bem, hoje trago as fotos que fizemos para o Book de 15 anos de minha prima, Luciana.

Escolhemos o parque das Mangabeiras pelo seu verde exuberante que este cartão posta Belorizontino tem.

Espero que gostem e comentem.

Grande abraço!

Fotos: Lucas Rigamont e Malu Tolentino

Maquiagem: Malu Tolentino

Boas notícias!

Sei que as vezes sumo um pouco daqui, o que é até ruim pra minha imagem e pra manutenção dos acessos ao site, mas é que as vezes é complicado com o tanto de atividades que tenho que exercer, mas desta vez tenho um motivo super especial que é muito especial para mim e que espero, possa também alegrar a todos vocês que vem aqui me visitar. Então vamos lá!

A pouco mais de um ano conheci uma pessoa que se tornou extremamente especial para mim, alguém com quem, a partir daquele dia, passei a ter momentos muito alegres ao seu lado, e principalmente passei a sonhar junto com ela.

Como tudo em minha vida coloquei esses sonhos nas mãos de Deus e Ele confirmou os sonhos em meu coração, assim diante desta confirmação chegou a hora de tomar uma atitude, resolvi então fazer uma loucura que pudesse então alegrar o coração dela.

Assim com a ajuda de amigos, um bocado de sono, um pouco de coragem, e com as mãos tremendo fiz o pedido, vejam o video:

É amigos depois de fotografar vários casamentos, finalmente chegou a minha vez, agora sou o noivo da @malutolentino, e estamos agora rumo ao nosso casamento, ainda falta um pouco de tempo, já que pelos planos será em 2012, mas estamos caminhando, e com alegria trago essa notícia a vocês.

Em breve espero trazer mais notícias boas, agora sobre a Primeiro Estilo.

Vejam o vídeo e comentem.

Grande abraço!

Lucas Rigamont

Amor. Uma escolha!

Esse texto surgiu de uma pergunta que resolvi fazer a alguns amigos através do Formspring; perguntei a eles: “Pra você amor é um sentimento ou uma escolha?”

Tomei a liberdade de colocar aqui as repostas:

@albertoandre: “Uma escolha”

@thiaguin001: “Um sentimento”

@PabloMendess: “Um sentimento, claaro!”

@debsam: “Um pouco dos dois, mas principalmente uma escolha”

@jeeh2: “Um sentimento, vc não escolhe quem vai amar, ele simplesmente acontece !”

@josidutra: “escolha…”

@kakzynhah: “Amor é um sentimento que não contolamos, ele representa a parte mais frágil e forte do ser humano, não escolhemos amar e acabamos sofrendo diversas vezes por não escolher o objeto de amor, mas escolhermos não dar valor a quem não merece”

@limaosimoes: “perginta dificil… mas eh um sentimento que se escolhe!”

@aleixolazaro: “acho q o amor é um sentimento…mas às vezes você pode escolher ter esse sentimento, o amor pode se tornar uma escolha …não sei se tá boa a resposta mas…”

@robertaalvim: “O amor é um sentimento inesperado, se fosse uma escolha nós escolheríamos a quem amar e assim jamais sofreríamos por amor!”

@carolinne_k: “um sentimento”

@wfb1: “Concerteza, c tivesse como escolher evitaria muito sofrimento #FATO”

@deborasgf: “Acredito que o amor seja um sentimento, que vem acarretado de algumas escolhas!”

@VeronicaCostaa: “Acredito que um sentimento. Mas continuar amar alguém é uma escolha.”

@lorenastela: “Um sentimento, se pudessemos escolher amar alguem talvez nao teriamos tantos problemas seria mais facil gostariamos só de quem gosta de gente e sofreriamos menos. mas infelizmente nao é =/ ee é um sentimento pq quandoduas pessoas se gostam é um sentimento que acontece pelas duas partes..”

@camillacat: “Eu acho q a partir de uma decisão/escolha vc passa amar aquela pessoa! =) Mas mtas vezes o ser humano é dominado pelos seus sentimentos.. então. ele não consegue dominar suas emoções qndo a pessoas age com a razão é uma escolha sim!”

(Respostas postadas tal qual os devidos autores escreveram)

Infelizmente nem todos a quem eu perguntei puderam responder, ainda aguardarei a resposta, mas as respostas que chegaram me levaram a pensar sobre essa pergunta, na verdade eu meio que tenho uma resposta formada pra essa pergunta então na verdade vou apenas respondê-la.

Lógico que o que vou escrever é minha opinião e respeito a opinião de todos.

Vamos lá então? Aqui realmente começa o MEU texto.

Amor. Uma Escolha!

Já vi amores nascerem de vários lugares, amores que nascem de paixões, amores que nascem de amizades amores que nascem em família, enfim amor não surge de um só lugar.

A Bíblia mesmo, em seu texto original cita 3 formas de amor, Agápe, Eros, Fileo, que me corrijam aqueles que conhecem mais sobre o assunto que eu, mas para a Biblia o amor Agápe seria o amor divino, um amor infindável, grande e muito forte, já o amor Eros seria mais como a paixão, um fogo de palha, algo mesmo erótico (Eros – Erótico sacou?) carnal, ou como costumam dizer por ai a famosa “Química”, já o amor Fileo seria o amor fraternal, um amor entre família e amigos.

As pessoas confundem facilmente essas formas de amor, e confundem principalmente a paixão com o amor.

Para mim a paixão é algo ardente, aquela coisa que se sente as vezes só de olhar a pessoa, aquela atração quase incontrolável, aquele desejo louco de estar com a pessoa todos os instantes, talvez nesse ponto você possa até falar que o amor também tem muito destas coisas, e sim, creio que tem, mas a diferença é que a paixão é tão duradoura quanto uma poça d’água em uma estrada esburacada, o sol quente das adversidades, e as pisadas dos problemas logo fazem com que ela se seque.

O amor como falei pode sim nascer de uma paixão, nascer de uma paixão porque pra mim o que muitas pessoas logo no início falam que é amor muitas vezes é só paixão, é por isso que em relacionamento nenhum eu falo que amo logo de cara, eu não banalizo essa palavra em minha vida, só falo que amo para aqueles a quem eu realmente amo. No mundo de hoje o amor foi banalizado com aquela máxima “Que seja eterno em quanto dure” fazendo com que facilmente as pessoas confundam a paixão com o amor, mas dessas paixões as vezes surgem o amor. Como? Explico mais a frente.

Assim como da paixão o amor também surge na amizade e na família, e ai agora vem a explicação de porque podem surgir destes três elementos principais, talvez existam até outros elementos dos quais possam surgir o amor, mas pra mim estes três são os mais importantes.

Quando um pai e uma mãe sabem que terão um filho, ou mesmo quando esta criança nasce eles ainda não amam aquela criança, fosse assim não teríamos tantas crianças abandonadas como temos. Assim também não se ama os amigos logo de cara, afinal amizades não acabariam por coisas tão bobas, aliás eu gosto de separar amigos (aquelas que realmente amam) e colegas e na verdade se acabou acho que eram muito mais colegas. Como já falei também a paixão também acaba.

O que faz então estes sentimentos transformarem em amor?

A ESCOLHA

A escolha transforma a família, a amizade (ou coleguismo como eu preferiria dizer) e a paixão em amor.

Porque digo que a escolha é que transforma?

Quando a paixão, a família e a amizade, deparam com dificuldades no percurso nem sempre elas são fortes suficientes para resistir.

Voce se apaixonou, tudo muito lindo, mas porque de repente você já não gosta mais daquela pessoa? O que aconteceu? Ela mudou? Ou você mudou? Talvez nada disso, talvez simplesmente você não tenha feito a escolha de amar.

Quando você escolhe amar você, como eu costumo dizer, tem que “engolir muito sapo”, você tem que abrir mão de muita coisa, você inclusive tem que abrir mão de você, por mais assustador que isso possa parecer.

Jesus por exemplo, entregou sua própria vida por amor de todos nós, mas antes de ser por amor de nós, ele fez por amor ao Deus Pai.

Assim também os pais tem que deixar suas noites de sono pelo filho, eles renunciam seus desejos e as vezes seu sonhos pelos filhos, namorados, maridos, namoradas e esposas, renunciam a muitas coisas também tudo pela felicidade do outro, e é essa renuncia, essa escolha, de querer fazer o outro feliz e com isso sentir-se feliz que transforma aqueles outros sentimentos em amor.

Não confunda amor com desejo, amor vem acompanhado de renuncia de companheirismo, como bem já disse, o amor também tem muito desejo sim, desejo de estar junto e até mesmo aquele desejo carnal que tanto enlouquece as paixões, sim também tem disso, mas diferente das paixões o amor não tem só o desejo, o desejo vem como complemento, o desejo é como o recheio do bolo, um e outro são gostosos, mas quando juntos são muito melhores.

Diante de tudo isso não posso deixar de afirmar que amor é sim uma escolha, mas amor é muito mais uma escolha, pode ser que não escolhamos a quem amar, mas continuar a amar, que pra mim é o verdadeiro amor, esse sim nós escolhemos.

E você acha que amor é um sentimento ou uma escolha?

Eu escolhi amar, e o melhor é que sou amado, eta escolha boa!

Grande abraço!

Lucas Rigamont

P.S Imagem gentilmente cedida pela minha aluna de fotografia, aquela a quem escolhi amar @malutolentino

Estou doente

Outro dia fui ao médico, e ele me falou que eu estava doente, ele falou que tinha algo estranho com meu coração, que o som das batidas do meu coração estavam diferentes, não eram a batida comum.

Na tentativa de tentar entender o que o médico falava, não que eu duvidasse da sapiência deste, tomei o estetoscópio de sua mão, acho que foi mais um sinal do meu desespero, e tentei escutar as batidas do meu coração. Comecei a rir, ria loucamente, decerto que o médico achou que eu, desesperado enlouquecera, mas não, meu riso era de felicidade, eu conhecia aquelas batidas. Agradeci ao médico e sai correndo do hospital, corri feito louco, feito “Corra Lola, Corra”, meus passos pareciam sincronizados com as batidas do meu coração, estávamos ambos loucos, eu e meu coração, estavam ambos doentes, meu coração e eu.

Felizmente aonde eu ia não era muito longe, afinal com meu coração doente não sei se agüentaria muito tempo. Mas corri não me importava, eu sabia que para aquela doença só tinha um remédio, e eu sabia bem onde encontrar, por isso corria.

Mas quando, após apertar o interfone daquele “Jardim” que era “Bom” ao ouvir sua voz senti meu coração acelerar ainda mais pensei que tinha me enganado que tinha corrido para o remédio errado talvez, mas mesmo assim, ainda confiando naquele coração doente corri escadas acima.

Você já me esperava na porta, com um lindo sorriso, meu coração parecia que ia explodir, pensei que iria morrer ali mesmo, na porta da sua casa, novamente a dúvida me veio, será que procurei pelo remédio errado? Teria eu corrido tanto a toa?

Mas então quando você me abraçou, que nossos corpos juntos eu sentia também o seu coração batendo pude entender, você também estava doente, e seu coração batia tão acelerado quanto o meu, mas eram batidas inversas ao meu, e então entendi, ali estava o remédio para a minha doença, ali no seu coração, e no meu coração estava o remédio para a sua doença.

Como em um motor onde tudo movimenta exatamente junto, eu sentia que o meu e o seu coração moviam juntos, enquanto um enchia o outro esvaziava, completando-se, completando um o movimento do outro, preenchendo o espaço que o outro deixava, com isso, os nossos corações foram se acalmando, encontrávamos enfim o remédio que precisávamos.

Por isso que falo, não duvido do médico, eu estou realmente doente, mas o remédio, ele não conhecia, pelo menos não o remédio que eu precisava, o meu remédio não vende em farmácias, o meu remédio foi fabricado há um tempo, o meu remédio foi Deus quem me deu, o meu remédio não pode ser substituído, o meu remédio, ah o meu remédio, é só meu, e minha doença é crônica, vou precisar desse remédio por toda a minha vida, remédio controlado. Remédio que vicia, vício gostoso, e até salutar.

Minha doença?

Minha doença é a paixão.

O remédio?

O remédio é o seu amor, o remédio é você.

Ainda que as vezes com medo, pulo de cabeça nessa cura, injeção, comprimido, o que for, não vou esconder mais, estou doente, preciso desse remédio, preciso dessa cura, mas confesso, não tenho esperanças de me curar, ou melhor não tenho a menor vontade de me curar. *-*

Imagem do post de: Mark Wagner