Turma de Minas não tem preço

Voltar de um congresso como o Turma de Minas é muito intenso, as idéias
e as lembranças fervilhando na mente, chega a ser meio louco, ainda
mais quando nesse lugar estavam aproximadamente 1400 pessoas.
Caramba, a intensidade disso é muito louca, ver 1400 pessoas, pulando,
cantando, se divertindo, e principalmente adorando o Senhor Jesus
juntas é algo que não se vê todos os dias (embora eu sonhe com um dia
que isso possa sim acontecer todos os dias).
Nas brincadeiras com o JV, no balanço das músicas do Megafone ou da Banda Jubam, ou mesmo nas brincadeiras pelo pátio, na piscina e nas quadras, era a amizade e o amor entre irmãos o que estava mais latente, talvez por isso despedidas sejam tão difíceis, talvez por isso a última noite é sempre a mais longa, talvez por isso o almoço demore mais pra ser engolido, e talvez por isso, só por isso, tantas lágrimas rolem pelo rosto.
Era engraçado passear pelo estacionamento, vários ônibus já com o motor
ligado só esperando seus últimos passageiros subirem, enquanto do lado
de fora rolavam lágrimas, risos, abraços apertados que pareciam não
acabar, e vários tendo aquela conversinha mais íntima que poderia
talvez resultar em um novo relacionamento.
Mas de tudo isso, o melhor é, sem dúvidas, ver o quanto muitos ali
foram trabalhados, como vasos nas mãos do oleiro, quebrados, e
quebrantados, afinal porque outro motivo valeria tanto a pena tanto
esforço.
Ver lágrimas rolando, agora não de tristeza ou de despedida, mas sim de
quebrantamento, ver joelhos no chão, e vozes falando “SENHOR EIS-ME
AQUI” isso não tem preço.
Saber que daquele lugar sairão pessoas que irão levar a palavra de
Deus para suas familias, amigos, trabalho e tudo mais, isso realmente
não tem preço.
Saber que todo o trabalho que cada organizador e lider teve para
planejar e executar tudo, da forma como foi, não foi em vão, isso não
tem preço.
Não tem preço saber que vidas foram resgatadas, e que muitas outras
poderão ser resgatadas através daquelas vidas que ali estavam, não tem
preço saber que o trabalho não foi em vão, não tem preço saber que Deus
estava conosco naquele lugar, e que Ele se alegrou por todo o trabalho,
e que Ele não irá nos abandonar na volta pra casa, não tem preço saber
que foi por Ele que tudo isso aconteceu.
Turma de minas, pra mim é mais do que um congresso, é mais do que
conhecer e reencontrar pessoas. As lições que ali aprendi, jamais foram
e jamais serão esquecidas, as lições que tive ali, estarão para sempre
comigo, em meu coração, e é por isso que eu amo tanto esse congresso, e
é por isso que enquanto Deus me permitir quero estar acompanhando esse
congresso, dando minha força e meus conhecimentos para fazer deste o
maior congresso do Brasil.
Eu, e tantos outros que ali estiveram trabalhando, voltaram pra casa
cansado, mas com uma sensação gostosa de que valeu a pena, e de que
tudo isso não tem preço.